Tecnologia Java por trás do Rover Perseverance da Nasa

Não há dúvida: quem usa bastante Internet já deve ter ouvido falar de uma linguagem de programação que se chama Java. Aliás, o seu grande slogan é Java Everywhere, o que significa Java em todo lugar.

Isso explica bastante o motivo pelo qual há tantos sistemas que são elaborados com base nessa programação, mas você sabia que até a NASA tem feito uso dela?

Pode parecer surpreendente, mas uma das missões da NASA à Marte, a sonda Rover, conta com a programação Java e isso está possibilitando saber muito mais a respeito do planeta vermelho e sua superfície. Sendo assim, se você quer saber mais sobre como a tecnologia Java está por traz da NASA em Marte, basta ler aqui para entender tudo!

Rover Perseverance java

Entenda a tecnologia Java

Para explicar como é que o Java está colaborando com a NASA, é importante compreender mais sobre essa linguagem de programação como um todo.
Primeiramente, o responsável pela sua criação é uma empresa que se chama Sun Microsystems e o seu lançamento aconteceu no ano de 1995. Treze anos depois, ela passou a pertencer a outra empresa, a Oracle.

Sendo bastante simples, a sua principal característica é o fato de ela ser orientada a objetos. Dessa forma, é uma programação que ajuda a reproduzir objetos de tipos diferentes e, com isso, interpretar melhor diversas realidades.

Não é à toa que a tecnologia Java sempre está presente no desenvolvimento de jogos: porque essa linguagem permite que se crie realidade baseada nos objetos. Assim, os games que as pessoas instalam nos celulares, por exemplo, contam com essa programação.

Sonda Rover: para que serve?

A sonda Rover faz parte de uma iniciativa da NASA que tem como finalidade entender mais sobre o planeta Marte. Basicamente, o seu maior objetivo é levantar informações referentes à superfície do planeta.Com isso, a ideia é que os cientistas da NASA possam especificar se existe a presença de água (ou se o planeta já teve esse elemento), além da possibilidade de desenvolvimento de vida por lá.

Como dito antes, uma das tecnologias que permitem que a sonda Rover possa fazer seu trabalho é a Java, pois ela possibilita que todos os objetos e elementos encontrados lá sejam transformados em imagem.

A partir daí, os cientistas da NASA conseguem fazer seus estudos a respeito da superfície do planeta vermelho.

Vale dizer que a programação Java é fundamental para que os profissionais da Jet Propulsion Laboratories consigam interpretar tudo o que a Rover envia. Caso contrário, essa missão da NASA não cumpriria seu objetivo.

Sem dúvida, isso reforça ainda mais o slogan dessa programação, o Java Everywhere. Afinal, até mesmo em Marte é possível achar essa tecnologia!

Para quem se pergunta a finalidade de saber se pode existir vida ou não em Marte, há dois objetivos: o primeiro é conhecer mais o espaço.

O segundo é saber se, em caso de uma necessidade (com um grande colapso da Terra), seria possível sobreviver nesse outro planeta.

Rover Perseverance java

Cientistas acessam todas as informações em Java que a Rover traz

De todas as características que a linguagem Java apresenta, uma delas é o fato de poder ser executada praticamente em qualquer lugar. Inclusive, ela é considerada uma linguagem portátil.

Essa é uma das principais razões pelas quais a NASA escolheu a linguagem Java: pelo fato dos seus engenheiros e cientistas conseguirem visualizar todos os dados que a Rover levanta, em qualquer lugar!

Isso permite que se tenha uma rapidez muito maior quando o assunto é analisar as imagens que se recebe da sonda: não é preciso usar algum equipamento específico para “ler” essas imagens e rodar a programação.

Pessoas comuns tiveram a possibilidade de “manejar” a sonda Rover

Algo muito interessante a respeito da sonda Rover é que as imagens que são enviadas por ela e interpretadas usando tecnologia Java foram transformadas em uma página interativa. Os interessados no planeta vermelho podiam usar uma aplicação que se chama Maestro e que tem a finalidade de simular o controle da sonda Rover.

Uma vez que o usuário maneja a Maestro, com tecnologia Java, ele consegue “colher” dados da superfície do planeta vermelho e até guiar a sonda pelo solo.

É quase como se esse internauta fosse parte da NASA! A razão pela qual a NASA criou esse simulador é ajudar às pessoas a entender mais a importância dessa pesquisa sobre outro planeta.

Além disso, quem é que nunca teve a curiosidade de saber mais sobre como é o planeta vermelho? Pois a tecnologia Java pode ajudar a sanar essa curiosidade! Vale dizer que o interesse das pessoas na sonda Rover e no simulador foi tão grande que causou dificuldade para que a NASA pudesse manter o acesso à página.

Primeiro, a empresa norte-americana reforçou os servidores para que as pessoas conseguissem visualizar uma simulação perfeita do solo de Marte e “guiar” a sonda. Depois, foi preciso retirar o simulador do ar.

O fato de a representação do solo de Marte ser tão perfeita e haver um interesse tão grande por parte das pessoas só reforça o quanto a tecnologia Java é eficiente na representação de objetos.
Agora, basta esperar por todas as informações que a sonda Rover ainda poderá trazer e que serão interpretadas usando essa aplicação.

4.7/5 - (3 votes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *